Fechar

 BLOG 

Posso mudar minha embalagem?

Você também pode ouvir este artigo em áudio no player acima.

Cases de empresas que substituíram suas embalagens tradicionais pela embalagem flexível

Fica cada vez mais evidente para todos nós o quanto o consumidor preza pela praticidade e pela funcionalidade dos produtos que consome, sobretudo nos últimos tempos, em as coisas acontecem mais rapidamente, a informação é transmitida sem barreiras, e a rotina profissional é cada vez mais acelerada.

E da maneira como seguem as preferências do consumidor, há também as mudanças na indústria que busca a adequação aos melhores tipos de produto e embalagens, que realmente atendam às demandas. Esta é uma modernização de grande impacto na percepção do produto pelo público, bem como em seu faturamento.
A grande solução encontrada, principalmente por razões práticas, é a utilização das Embalagens Flexíveis, cada vez mais presentes nas gôndolas, nos mais variados tipos de produtos. As embalagens flexíveis permitem uma grande otimização no transporte dos produtos, assim como no descarte, em comparação às embalagens tradicionais.

Os dados de produção de embalagens corroboram a demanda por inovação

O plástico, observados os cuidados de produção e descarte, demonstra ser um grande aliado do empresário e do consumidor nesses novos hábitos de consumo.  Vamos verificar alguns dados que ilustram essa tendência.

Segundo dados da FGV e IBGE, o plástico está como o material de maior produção na indústria da embalagem, cerca de 41% do total produzido. Na sequência, verificamos que embalagens de papel/cartão/papelão respondem por cerca de 30%, metais são 19%, embalagens em vidro são 6%, têxteis 3% e madeira 1%.

Os dados indicam ainda que o crescimento na produção do setor da embalagem foi de 3% em 2019, precedida por taxas de 2,6% em 2018, e 1,9% em 2017. Ou seja, três anos consecutivos de crescimento.

E onde podemos verificar essa disposição em inovar através das embalagens flexíveis? Bem, basta olharmos nas prateleiras dos mercados e veremos cada vez mais produtos com diferentes embalagens, propondo soluções e novos meios de utilização. 

Vamos verificar alguns cases de sucesso para ilustrar este cenário.

Coca-Cola

Depois de oito anos de desenvolvimento da sua bebida estilo “raspadinha”, a Coca-Cola lançou o produto congelado que permite ao consumidor apertar a embalagem até obter a textura do congelado que quiser.

A nova bebida foi lançada no Japão, mas causou alvoroço por tratar-se de uma proposta ousada, que substitui a tradicional lata de metal ou garrafa de vidro e oferece a stand-up pouch flexível e com bico personalizado.

Uma embalagem que possibilita a venda do produto descongelado para congelar em casa, e ainda permite alterar sua textura, de acordo com a preferência do consumidor.

Predilecta Alimentos

A tradicional empresa brasileira Predilecta Alimentos também adotou as embalagens stand-up pouch para suas geleias, proporcionando maior conveniência ao consumidor, não apenas no momento de utilização do produto, pois possibilita usar o conteúdo direto no pão, mas também no seu armazenamento, muito mais fácil em relação às embalagens de vidro ou metal.

E como já comentamos aqui no blog, as embalagens flexíveis possibilitam que todo seu conteúdo seja utilizado, evitando desperdícios.

Copra Alimentos

Assim como a Coca-Cola e a Predilecta, a Copra Alimentos também adotou as embalagens stand-up pouch como uma nova opção para o consumidor que espera maior praticidade na hora de utilizar o produto. Neste caso, a empresa optou por envasar seu óleo de coco extravirgem nas novas embalagens, com um bico dosador que dispensa talheres para ser utilizado.

Unilever Food Solutions

Há também o caso da Unilever, uma gigante do mercado alimentício que inovou quando optou por oferecer maionese, ketchup e mostarda em embalagens sachês diferenciadas.

Depois de pesquisas realizadas para identificar as necessidades do consumidor quando utiliza os molhos em sachês, concluíram que há um volume médio ideal utilizado, e também a necessidade de sistemas que facilitem sua abertura. O resultado foi embalagens maiores, que evitam o desperdício e atendem a demanda, além de um sistema de fácil abertura.

Vale a pena inovar e adotar as embalagens flexíveis?

Pudemos ver neste artigo o impacto positivo que novos tipos de embalagens oferecidas ao consumidor têm na indústria de alimentos. E essas vantagens não se restringem às empresas mais tradicionais e consolidadas no mercado, elas podem fazer uma grande diferença também ao pequeno empresário.

Pode ser que um momento de maior praticidade percebida pelo consumidor ganhe a sua fidelidade. Este é o papel das embalagens flexíveis: proporcionar conveniência!

Conte com as Máquinas de Envase Profills para inovar na sua linha de produção!

Compartilhe!

Índice